Vire seu celular para ter uma melhor experiência no site.

PETICOV 70 ANOS

PETICOV CELEBRA 70 ANOS DE SEU REALISMO FANTÁSTICO ATRAVÉS DA DIVERSIDADE DE SUA PRODUÇÃO E DE PERSPECTIVAS DE NOVOS PROJETOS.

Reconhecido pelo crítico de artes plásticas, Robert Hughes, como um dos 5 mais importantes artistas brasileiros, o pintor, escultor, desenhista, gravurista, hológrafo e programador visual, Antonio Peticov, expõe desde 1965.

Sua trajetória, pessoal e artística, se esbarra e absorve os mais relevantes movimentos dos grupos de vanguarda, tornando-se parte integrante e referencial da cultura contemporânea global, destacando suas participações nas IX, X E XX Bienais de São Paulo, assim como individuais no MASP em 2003 e no MAM do Rio de Janeiro em 1978, além de centenas de exposições em algumas das melhores galerias de arte do mundo.

Seu trabalho foi difundido mundialmente através de capas de discos e de livros assim como calendários, cartões postais e posters, geralmente associados às suas mostras que projetam o paralelo de sua produção a movimentos interseccionados como do Tropicalismo e cultura pop. Sempre dentro de um padrão de intensidade e criação, diz que sua obra não é só de grande oferta, mas acima de tudo, de grande procura.

Segundo Fábio Magalhães, Peticov é um artista de vivência internacional, trabalhou durante longos períodos em Londres e Milão e, depois, em Nova York. Em sua produção europeia, dedicou-se principalmente com as questões cromáticas. Na sequência e sem perder seu interesse pela cor, Peticov voltou sua atenção para a geometria que se oculta na natureza e nos objetos.

Tratou também das questões perceptivas que envolvem o olhar, como por exemplo, os jogos do verso e do reverso, dos contornos preenchidos e dos vazios, da relação figura/fundo ou os problemas da relações entre côncavos e convexos, entre outras ambiguidades visuais. Essas ambivalências do olhar não são unicamente perceptivas, elas nos motivam e fazem pensar, provocam aspectos de cognição, ou seja, de juízo, de raciocínio e de imaginação.

Nesta celebração de seus 70 anos, mais uma vez inovando, abre sua casa, sua gigantesca e exclusivíssima biblioteca com mais de 8 mil livros especializados, distribuídos entre centenas de milhares de jogos de lógica e matemática, para entregar a sociedade o Instituto Antonio Peticov, fonte permanente da discussão do ato da criação, do estímulo ao aprendizado e da aproximação das mais diversas oportunidades de desenvolvimento humano através das artes e do pensamento matemático.

Preparando-se para uma série de novas exposições, mostras e participações de importantes eventos no cenário nacional e internacional das artes, diz nunca ter parado seu trabalho cotidiano do criar, até por não mais conseguir distingui-lo da própria vida.

Suas obras referenciais para a Cidade de São Paulo e instalações espalhadas pelo mundo são parte do fazer de um artesão da cor e da luz, com mais de duas mil obras criadas, nos mais diversos suportes.

“O seu é um mundo matemático e mítico, onde o entusiasmo pela mecânica celeste explode cavalgando arco-íris que delimita seções áureas, anéis de Moebius, paradoxos ‘Escherianos’ e espirais logarítmicas.”
Matheo Guarnaccia